Marina Werneck encerra 2017 viajando pela América Central e África do Sul, renova as energias e segue em busca da revitalização do surf no Brasil

Depois de um 2017 muito produtivo, Marina Werneck não poderia encerrá-lo de forma mais especial. Após o lançamento do campeonato digital de surfe feminino ‘Seaflowers Digital’ (http://www.marinawerneck.com.br/seaflowers), a freesurfer partiu para uma nova aventura. Ao lado de Chantalla Furlanetto, Bárbara Müller, Marina Rezende, Jasmim Avelino, Michelle Des Bouillons, Aline Adisaka e Daniele Piccolo, Marina foi convidada pelo Canal OFF para gravar uma nova temporada da série ‘Por Elas’. Como não poderia deixar de ser, as grandes protagonistas das gravações foram as ondas da América Central e o público poderá acompanhar esta nova aventura no Canal OFF ainda este ano.

Assim que as gravações foram finalizadas, Marina foi ao encontro da família na África do Sul para as festas de fim de ano. Apesar de já ter ido para o país três veze para prática do surfe, esta foi a primeira vez que ela pôde realmente conhecer os pontos turísticos do local. O Natal foi em Joanesburgo, lá teve a oportunidade de conhecer alguns parques e jardins botânicos e visitar o ‘Apartheid Museum’, onde aprendeu um pouco mais sobre a cultura africana, a história do apartheid e o impacto que Nelson Mandela teve não só na África do Sul, mas em todo continente.

O tradicional Safari, no Parque Nacional de Pilanesberg, também fez parte do roteiro da família. No parque, que é o quarto maior parque da África do Sul, Marina viu de perto animais como leão, elefante, hipopótamo, búfalo, dentre outros. De Joanesburgo, ela foi para Cidade do Cabo, no extremo sul da África, passar a virada do ano, e lá pôde ver o encontro dos oceanos Índico e Atlântico, praias lindas e aproveitou para surfar nas águas geladas do lado atlântico, onde estavam as melhores ondas.

Marina, que completou 30 anos durante a viagem, no dia 02 de janeiro, ganhou de presente uma das 7 maravilhas do mundo. Após subir a trilha da Table Mountain durante três horas, a freesurfer comemorou o aniversário e a entrada de 2018 com uma das vistas mais espetaculares que já viu na vida. Com as energias renovadas e já no Brasil, Marina segue com seus projetos e com a busca da revitalização do surfe no Brasil.