Marina Werneck participa de ação promovida pela Guaraná Antarctica no Instituto Medina

Na última quarta-feira (27), Marina Werneck participou de uma ação promovida pela Guaraná Antarctica no Instituto Medina, em Maresias. A marca, que patrocina a surfista há mais de dois anos, lançou no local, com a presença também do anfitrião Gabriel Medina, uma prancha de surfe produzida com garrafas pet recicladas.

“Foi muito bom ver a reação de todo mundo e saber que a Guaraná Antarctica teve uma iniciativa como essa vinculada ao surf. É um projeto bem especial e eu estou muito feliz em fazer parte disso”, conta Marina.

A peça foi produzida em parceria com o shaper Neco Carbone. O processo de fabricação envolveu a utilização de exatas 756 garrafas pet, o que representa 80% da composição. A marca também se comprometeu a recolher ou reutilizar, até 2025, 100% desses seus recipientes produzidos.

“Guaraná Antarctica é uma marca que convida os consumidores a aproveitarem os bons momentos da vida e o surf está diretamente conectado a esse conceito. A Prancha PET é inovadora e reforça a natureza da marca”, afirma Fernando Soares, vice-presidente de marketing de Guaraná Antarctica.

O evento realizado nas dependências do Instituto Medina reforçou mais uma vez a parceria de Marina com a Guaraná. De acordo com Fernanda, gerente de marketing da marca, a Marina é a cara de Guaraná: “É brasileira, espontânea, uma pessoa que está sempre se divertindo. É importante ter uma representante feminina do surf no Brasil, a marca precisa disso e é muito bacana ter pessoas com o lifestyle da Marina para estar ao lado de Guaraná. A gente está muito feliz com a parceria”.

Desde o início de 2016 Marina Werneck é embaixadora da marca que é parceira do surf desde 2012 e expandiu seu alcance para o universo feminino. No final do ano passado, a freesurfer viajou até Maués, na Amazônia, para conhecer a origem e participar da 37ª Festa do Guaraná.

“Eu me sinto muito honrada em fazer parte desse time, de uma marca que representa tanto o nosso país, as nossas origens e me identifico 100% com o posicionamento e com todo o conceito. Eu criei uma relação muito especial depois da visita à Amazônia e fico sem palavras com todo o incentivo que eles têm dado para o surf”, finaliza.